COLECÇÃO PENSAR PORTUGAL
 
PORTUGAL EM CRISE - DA AGONIA DA MONARQUIA À IMPLANTAÇÃO DA REPUBLICA
ANTERO DE QUENTAL, BERNARDINO MACHADO, MANUEL DE ARRIAGA, HINTZE-RIBEIRO & OUTROS (Junho de 2006)
A presente antologia, dá a conhecer alguns dos mais belos textos, de reflexão política e cultural alguma vez escritos em língua portuguesa.
Os autores que integram esta colectânea fazem parte de uma geração de portugueses que pautaram a sua acção pelos mais sinceros e nobres sentimentos de Amor à Pátria, que atravessava um dos períodos mais angustiantes da sua história. O seu desejo manifesto era colocar Portugal entre os primeiros da Europa e do Mundo, sempre escudado na nobre pretensão consubstanciada pelas palavras de Augusto Fuschini "... pelos princípios da Humanidade e da Justiça."
O leitor irá encontrar reflexões de alguns dos mais eminentes intelectuais portugueses, dos quais destacamos: a elegância literária de Vieira de Castro, a linguagem ardente de António José de Almeida, a ironia de D. Luís da Câmara Leme, a consistência intelectual de Manuel de Arriaga e Bernardino Machado.

ISBN: 989-95063-2-X Dim: 15,00 cm x 21,00 cm P.V.P.: 18.25 euros
OS VENCIDOS DA VIDA
EÇA DE QUEIROZ, OLIVEIRA MARTINS, RAMALHO ORTIGÃO, CARLOS LOBO D'ÁVILA & OUTROS (Fevereiro de 2006)
Dizia Fialho de Almeida, criticando com azedume os Vencidos: "Dúzia e meia de ratões que, quando juntos, o que pretendem é jantar; depois de jantar, o que intentam é digerir; e digestão finda, se alguma coisa ao longe miram, tanto pode ser um ideal, como um water-closet." Disparava Eça de Queiroz, numa resposta à "ressoante publicidade que a imprensa erguia em torno do grupo jantante": "O que é estranho nõo é o grupo dos Vencidos - o que é estranho é uma sociedade de tal modo constituída que no seu seio assume as proporções de um escândalo histórico o delírio de onze sujeitos que uma vez por semana se alimentam."
"Num meio estreito de ideias, intolerante e preconceituoso, enredado em miúdos prejuízos - os Vencidos encarnavam a largueza de vistas, a tolerância generosa, a independência crítica, à luz da razão clarividente." Manuel da Silva Gaio, 1931

ISBN: 972-99757-6-0 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm P.V.P.: 16.50 euros
PERIGOS - PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO
JOÃO DE ANDRADE CORVO (Novembro de 2005)
O que pensar de um autor que em 1870 antecipa muitos dos acontecimentos que marcaram o século XX e algumas das mais estimulantes propostas que hoje enquadram o debate acerca da reconfiguração do sistema político internacional? Um autor que reflecte sobre o papel de Portugal na Europa e no mundo, afirmando: Quando são tantos e tão grandes os perigos, olhemos também nós, portugueses, pelos nossos interesses. Proclamemos também os nossos direitos e mostremos ter a consciência dos nossos deveres e a força de os cumprir.
João de Andrade Corvo, por muitos considerado o pai da moderna diplomacia portuguesa, revela nesta obra uma capacidade invulgar para analisar os principais desafios político-estratégicos a que deveremos saber dar resposta no plano das relações internacionais.
A sua descrição dos factos é rigorosa e empolgante. A interpretação que deles faz está repleta de valiosos ensinamentos para o futuro. O estilo é fascinante.

ISBN: 972-99757-4-4 Dim: 13,50 cm x 21,00 cm P.V.P.: 13.90 euros
OS CONFERENCISTA DO CASINO
ANTERO DE QUENTAL, AUGUSTO SOROMENHO, EÇA DE QUEIROZ, ADOLFO COELHO (Outubro de 2005)
Os autores que integram esta colectânea fazem parte daquela geração de portugueses que, lutando contra fortes ventos adversos, tentaram sempre, com elevado sentido crítico e patriótico, desbravar os caminhos que dessem ao país a possibilidade de se desenvolver, nos planos social, económico e intelectual.
Paladinos da liberdade de pensamento e do estudo fundamentado dos problemas, pugnaram pela regeneração política e moral, recusando-se a aceitar Portugal como "um mundo escuro, pobre, inerte, sem invenção e sem costumes, mergulhado no torpor e na indiferença".
Disse Eça de Queiroz, n'As Farpas de Junho de 1871, a propósito das Conferências do Casino e do seu encerramento intempestivo: Nós queremos a revolução feita serenamente no domínio das ideias e da ciência, primeiro, depois pela influência pacífica duma opinião esclarecida e inteligente...
Possa esta edição ajudar a reavivar a memória dessa revolução tentada e até hoje ainda não cumprida.
ISBN: 972-99757-2-8 Dim: 13,50 cm x 21,00 cm P.V.P.: 13.50 euros
O PRESENTE E O FUTURO DE PORTUGAL
AUGUSTO FUSCHINI (Outubro de 2005)
Companheiro de Eça de Queiroz, de Ramalho Ortigão e de Antero de Quental em diversas batalhas cívicas e intelectuais, Augusto Fuschini foi um dos Conferencistas do Casino que em 1871 viu proibida a sua palestra por decisão governamental.
Com certeiras e acutilantes pinceladas, Fuschini, escrevendo em 1899, retrata os caracteres principais da sociedade portuguesa do seu tempo - que representam afinal, ainda hoje, as debilidades e os vícios da portugalidade.
O que mais impressiona neste luminoso fresco do final do nosso século XIX é, com efeito, a sua espantosa - e deveras preocupante - actualidade: a imoralidade dos governantes, sempre escudada na impunidade; a resignação fatalista e a subserviência medrosa dos governados; a falta de verdadeiros estadistas, assim como o cinismo e a inépcia dos poderes públicos; a inveja e o egoísmo; a repugnância pelo trabalho, mas também a profunda indiferença pelo pensamento e pela discussão crítica.

ISBN: 972-99757-1-X Dim: 13,50 cm x 21,00 cm P.V.P.: 12.50 euros
  Soldados do Império
  Dialéctica Belli
  Pensar Portugal
  Letras com História
  Leituras de outros Tempos
  Grandes Vultos da Hist de Port
  Pensar a Estratégia
  Guerra e Civilização
  Construtores da História
  Tesouros Perdidos da Lit Port
  Passado Presente
  Causam Dicere
  Gestão e Auto-Ajuda
  Infantil
  Ficção Contemporânea
  Critica ao Port Contemp
  Portugueses no Mundo
  Rumos do Pensamento
  Cad Arm Regulam Port
  Cad Militaria Portuguesa
  Outras Publicações