COLECÇÃO PORTUGUESES NO MUNDO
 
O INVESTIMENTO DAS EMPRESAS PORTUGUESAS NO BRASIL, UMA EXPERIÊNCIA DE DIPLOMACIA ECONÓMICA?
CATARINA MENDES LEAL (Outubro de 2012)
EXCERTO DA CAPA:
Actualmente assiste-se à emergência de uma nova ordem económica internacional. A globalização acelera-se e aprofunda-se, abrangendo um leque variado de aspectos de natureza económica, política, social e cultural. Um dos seus pilares fundamentais é a internacionalização, especialmente na perspectiva da deslocalização do investimento e das actividades produtivas. Face a este novo contexto, caracterizado por profundas mutações e transformações, os Estados têm de incentivar uma economia mais competitiva e sociedades mais coesas. É fundamental não só promover o aprofundamento da competitividade da economia e das empresas, como também é necessário incentivar a internacionalização. A presente publicação propõe-se abordar a Diplomacia Económica e tentar compreender o seu lugar na promoção do investimento português no Brasil, entre 1997-2001.
ISBN: 978-989-8070-90-6 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 251pp
P.V.P.: 15.00 euros
LAÇOS DE SANGUE
JOSÉ SACCHETTA RAMOS MENDES (Julho de 2010)
EXCERTO DA OBRA:
“Privilégios e intolerância marcaram a imigração e a presença dos portugueses no Brasil. Este trabalho assinala o paradoxo político-jurídico que distinguiu os portugueses, desde o processo de emancipação frente a Portugal, tomado o ano de 1822 como ponto de ruptura, até ao fim do Estado Novo em 1945. A baliza de tempo abrange o Império e as primeiras décadas republicanas. Nesses 123 anos, as principais atitudes relativas aos imigrantes portugueses foram o favorecimento e a lusofobia.”
ISBN: 978-989-8070-55-5 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 378pp
P.V.P.: 22.00 euros
AS RELAÇÕES PORTUGAL BRASIL NO SÉCULO XX
VÁRIOS AUTORES (Julho de 2010)
COORDENADORES: FERNANDO DE SOUSA, PAULA SANTOS, PAULO AMORIM
EXCERTO DA OBRA:
“O presente livro dedica-se em exclusivo ao tema de As Relações Portugal – Brasil no século XX, e traduz a importância crescente que este relacionamento detém na política externa dos dois países – aproveitando o facto de partilharem a mesma língua, o mesmo universo cultural, os mesmos valores, no quadro de uma agenda política comum que transcende a CPLP, assim como os espaços regionais em que os dois países se situam, a Europa e a América do Sul.
Reúnem-se, pois, nesta publicação, os contributos de vários especialistas, nacionais e brasileiros, com o objectivo de estimular o desenvolvimento de estudos científicos sobre o relacionamento luso-brasileiro, que se assume de primordial importância no contexto geopolítico e geoeconómico dos dois Estados.”
ISBN: 978-989-8070-56-2 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 242pp
P.V.P.: 19.00 euros
A EMIGRAÇÃO PORTUGUESA PARA O BRASIL E AS ORIGENS DA AGÊNCIA ABREU
FERNANDO DE SOUSA (Outubro de 2009)
EXCERTO DA OBRA:
“As origens da Agência Abreu, a mais antiga agência de viagens portuguesa e uma das mais antigas do mundo, encontram-se indissociavelmente ligadas à emigração portuguesa para o Brasil por duas razões fundamentais: o seu fundador, Bernardo Luís Vieira de Abreu, foi emigrante no Brasil, aí tendo amealhado o dinheiro necessário para se instalar como empresário, no Porto, segundo a tradição, em 1840...
Neste trabalho de investigação que agora se publica, em ordem a compreendermos as origens da Agência Abreu, abordamos, em primeiro lugar, a emigração portuguesa para o Brasil entre 1835-1843, procedendo à sua caracterização sumária, ao enquadramento jurídico deste fenómeno por parte do Estado português, e apresentando os resultados do inquérito parlamentar de 1843 à emigração, até ao momento inédito.
Na segunda parte, abordamos as origens da Agência Abreu, centrada no seu fundador, Bernardo Luís Vieira de Abreu.”
ISBN: 978-989-8070-41-1 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 264pp
P.V.P.: 19.90 euros
MIGRAÇÕES E DESENVOLVIMENTO
ORTELINDA BARROS (Maio de 2009)
EXCERTO DA OBRA:
“É inquietante o despovoamento e o envelhecimento das freguesias estudadas. Depois de intensas conturbações demográficas e migratórias que se desenrolaram desde os anos 60 do século passado, e que provocaram enormes desequilíbrios territoriais e regionais, neste início do século XXI o interior continua a desertificar-se.
O atrofiamento demográfico que se verifica no interior do país não pode ser concebido como um processo irreversível. É necessário apoiar o desenvolvimento das regiões e das localidades do interior com políticas que consigam atrair populações e investimento económico. O desenvolvimento local é o grande instrumento do desenvolvimento rural, tomando este como o desenvolvimento do potencial criativo em termos humanos, sociais, económicos e territoriais das áreas rurais. Não podemos falar de desenvolvimento local que não seja desenvolvimento social, integrado, sustentável, já que ele apela a conceitos como o de inclusão, participação, coesão, competitividade e solidariedade.”
ISBN: 978-989-8070-31-9 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 436pp
P.V.P.: 25.00 euros
A COMUNIDADE LUSÍADA EM JOANESBURGO
PAULO BESSA (Maio de 2009)
A génese da presença portuguesa na África do Sul remonta aos Descobrimentos, existindo contactos há mais de meio milénio, materializados nas viagens transoceânicas e na proximidade das colónias lusas. O indivíduo tido como “o primeiro verdadeiro imigrante português, desembarcou no Cabo em 1722 e entrou ao serviço da Companhia [Holandesa das Índias Orientais]. Chamava-se Inácio Ferreira e era natural de Lisboa,” sendo o ancestral dos afrikaners de apelido Ferreira. A constituição da comunidade lusa propriamente dita só se verificaria muito mais tarde. Após a “descoberta de diamantes, (...) em 1867, e de ouro, (...) em 1886, milhares de [europeus] confluíram para a África do Sul,” iniciando-se o fluxo português em 1872, tendo por destino a Cidade do Cabo, onde se estabeleceram madeirenses, sobretudo no sector pesqueiro, ingressando posteriormente nas províncias do Transvaal e Orange Free State, atraídos pelas riquezas minerais. A problemática da quantificação das comunidades lusas só foi abordada pelas autoridades de Lisboa no último quartel do século XIX, realizando-se então um levantamento dos portugueses de origem europeia na África do Sul através da rede diplomática, concluindo-se que, entre 1878 e 1911, ter-se-iam radicado neste país 2 270 portugueses, dos quais apenas uma minoria constava nos registos.
ISBN: 978-989-8070-30-2 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 316pp
P.V.P.: 22.00 euros
  Soldados do Império
  Dialéctica Belli
  Pensar Portugal
  Letras com História
  Leituras de outros Tempos
  Grandes Vultos da Hist de Port
  Pensar a Estratégia
  Guerra e Civilização
  Construtores da História
  Tesouros Perdidos da Lit Port
  Passado Presente
  Causam Dicere
  Gestão e Auto-Ajuda
  Infantil
  Ficção Contemporânea
  Critica ao Port Contemp
  Portugueses no Mundo
  Rumos do Pensamento
  Cad Arm Regulam Port
  Cad Militaria Portuguesa
  Outras Publicações