OUTRAS PUBLICAÇÕES
 
BÓSNIA 96, XX ANIVERSÁRIO DA MISSÃO
EXÉRCITO PORTUGUÊS (Maio de 2016)
EXCERTO DO LIVRO:
É com muito agrado que o Exército se associa à publicação desta segunda edição de um livro que retrata aquela que, para além de ser uma missão pioneira em muitos outros sentidos, foi também uma das maiores em termos do número do efectivo projectado para fora do território nacional. É uma justa homenagem aos homens e mulheres que serviram a causa da segurança e paz mundial, que ostentaram as insígnias nacionais ao serviço de uma aliança que, em nome do concerto das nações, procurou mitigar o conflito e as suas consequências nefastas.
Muitos dos que serviram nessa missão integram, agora, a nossa sociedade, enriquecidos pela experiência do contacto com culturas diferentes da nossa, pela vivência e superação de circunstâncias adversas, pela satisfação de ter servido na prossecução de um ideal nobre, por terem realizado algo de invulgar e extraordinário, fora da vivência do cidadão comum. São desafios que continuam a ecoar junto do melhor da nossa juventude que, saindo da sua zona de conforto, escolhe servir Portugal e os portugueses, no Exército.
(Da Nota de Abertura pelo Chefe de Estado Maior do Exército
General Frederico Rovisco Duarte)
ISBN: 978-989-8647-63-4 Dim: 21,00 cm x 29,70 cm Pag: 154pp
P.V.P.: 23.00 euros
O CEP, OS MILITARES SACRIFICADOS PELA MÁ POLÍTICA
ANTÓNIO JOSÉ TELO E PEDRO MARQUÊS DE SOUSA (Maio de 2016)
EXCERTO DO LIVRO:
O CEP é um caso de estudo ideal, pois não só é em quase tudo o contrário do que deve ser uma força militar, como ilustra muito bem a complexidade das relações entre o interno e o externo, os políticos e os militares, os militares de carreira e os restantes, os grandes e os pequenos poderes. É igualmente ideal para estudar inúmeros aspectos da arte militar, como a liderança, as operações conjuntas e combinadas, as tácticas e o planeamento.
Simplesmente, o CEP não foi criado como “caso de estudo”. Ele foi a maior força expedicionária que Portugal enviou para a Europa, para participar na maior guerra da humanidade (até então), na frente mais exigente, no período mais intenso e no combate decisivo (em Março – Abril de 1918) entre os dois melhores exércitos da altura (GB e Alemanha). Em termos da arte militar de Portugal, o CEP é um empreendimento de grande envergadura, um caso raro de empenhamento nacional na frente mais exigente de uma guerra global.
Podemos ainda acrescentar um outro aspecto que torna o estudo do CEP fascinante: é que apesar da sua importância e significado, até hoje, passados já 100 anos, a visão que se tinha sobre ele estava envolta em profundo nevoeiro, tão espesso como aquele que protegeu as tropas alemãs no fatídico dia 9 de Abril.
Sobre o CEP caiu desde o primeiro momento um imenso véu de mentira, que se tornou na verdade oficial, não permitindo entender o que ele foi, tanto em termos políticos como militares. Se isto aconteceu durante um século, metade de ditadura, é certo, mas metade de democracia à portuguesa, é porque as forças, hábitos e mentalidades que criaram o CEP continuam vivas e activas, prontas a silenciar quem se afaste da verdade oficial.
Esta é a outra e inesperada dimensão do CEP: coloca-nos perante os dilemas de fundo da sociedade portuguesa, as nossas próprias limitações, as razões porque continuamos a ser uma democracia incompleta e limitada, tal como acontecia em 1914, mas com métodos diferentes.
(Excerto das conclusões)
ISBN: 978-989-8647-54-2 Dim: 21,00 cm x 29,70 cm Pag: 502pp
P.V.P.: 40.00 euros
A GRANDE GUERRA, UM SÉCULO DEPOIS
ANTÓNIO JOSÉ TELO (COORD.) (Julho de 2015)
CONTRACAPA DO LIVRO:
Há cem anos a Europa estava mergulhada no que era então a maior guerra da Humanidade.
O mundo eurocêntrico entrou em crise e uma série de crenças e valores profundamente enraizados e de aceitação generalizada foram postos em causa. Uma Europa que não conhecia importantes conflitos desde há um século, mergulha de repente em duas guerras mundiais no curto espaço de três décadas.
O que era um continente estável, pacífico, marcado por regimes muito semelhantes que partilhavam os mesmos valores, produz subitamente as duas maiores guerras da humanidade, só sendo capaz de encontrar uma nova situação de estabilidade no final da 2ª Guerra Mundial e, mesmo essa, marcada por 50 anos da Guerra Fria.
Ainda hoje o que os contemporâneos chamaram a Grande Guerra é muito polémica, pois é um evento charneira, o fim do mundo estável do século XIX e o começo do conturbado e violento século XX. É uma mudança multifacetada, que se faz sentir a nível militar, político, social, económico e, sobretudo, nas mentalidades e nos valores, estruturantes de tudo o resto. A beligerância portuguesa nessa guerra é igualmente polémica, tendo dividido a sociedade na altura e a historiografia nos anos posteriores.
ISBN: 978-989-8647-32-0 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm Pag: 439pp
P.V.P.: 14.75 euros
SEGURANÇA, PERSPECTIVAS PARA UMA SOCIOLOGIA DA ACÇÃO
MANUEL SERAFIM PINTO (Julho de 2015)
EXCERTO DO LIVRO:
A leitura deste livro será útil ao cidadão comum, aquele que toma contacto com a decisão política através das notícias de jornal, suporte avesso à profundidade ou continuidade das notícias veiculadas. Várias estratégias deste livro demonstram a preocupação do autor com estes diferentes públicos. Sublinhe-se quer a quantidade e a qualidade da Bibliografia, de documentos impressos e online, quer a apresentação gráfica, desenhada para um público abrangente: isolam-se as ilações a tirar no final de cada capítulo, os itálicos sublinham as premissas mais importantes, visualizam-se os esquemas metodológicos… Em suma, falamos de um livro que hoje interessa potencialmente “a cada um de nós”, ainda que não “a todos”, porque nem a todos podem ser familiares as mesmas preocupações da linguagem.
ISBN: 978-989-8647-42-9 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 244pp
P.V.P.: 14.75 euros
GUERRA D’ÁFRICA 1961-197 ESTAVA A GUERRA PERDIDA?
HUMBERTO NUNO DE OLIVEIRA E JOSÉ BRANDÃO FERREIRA (Maio de 2015)
EXCERTO DO PREFÁCIO:
Pode nestes termos dizer-se – e o volume aqui apresentado vai nesse sentido – que em 1961, no início, em Angola, havia um forte sentimento de unidade patriótica e coesão na necessidade de defesa. A ofensiva no Norte de Angola, com caracteríticas de massacre racista, com que a UPA desencadeou as hostilidades, não deixava espaço para outra solução que não a resistência e a retribuição.
O estender progressivo da guerra, primeiro à Guiné, em 1963, e depois, em 1964, ao Norte de Moçambique, trouxe um desafio militar e logístico, a que o Governo, o Exército e as populações responderam, com capacidade, criatividade e estoicismo.
Diga-se também que, na época, a opinião nacional, foi de apoio à política de Salazar e mesmo muitos dos seus tradicionais opositores e militantes da oposição democrática, não hesitaram, sublinhando diferenças ideológicas, em afirmar o seu apoio à política de defesa. Também o país profundo – em parte ainda rural – contribuiu com as dezenas de milhar de jovens recrutas necessários para o Contingente, num ritmo que se repetira nos anos seguintes.
(Do prefácio por Jaime Nogueira Pinto)
ISBN: 978-989-8647-44-3 Dim: 16,00 cm x 23,00 cm Pag: 392pp
P.V.P.: 18.00 euros
NÓS, ENFERMEIRAS PARAQUEDISTAS
ROSA SERRA (COORD.) (Janeiro de 2015)
PREFÁCIO DO LIVRO:
A guerra começa por negar a inviolabilidade deste direito, e até se fala num direito provisório, que teve formulação em Nuremberg no julgamento dos vencidos, sob uma lei retroativa e invalidação das ordens recebidas, tudo consequência das crueldades cometidas, mas com expressão mais humanizada nas leis internacionais que protegem prisioneiros e feridos. Ora este livro vem contribuir para fortalecer uma tendência, felizmente em crescimento, para lembrar, não o avanço dos conceitos técnicos, não as destruições globais de vidas e patrimónios, mas que são pessoas, cada uma delas sendo um fenómeno que não se repete na história da humanidade, que estão envolvidas na calamidade da guerra; em segundo lugar, que no socorro às vítimas, como nele se comprova, o direito natural retoma instantaneamente o imperativismo que leve tratar com igual dedicação e esforço, amigos e adversários atingidos nos combates. No caso português, esta iniciativa que levou à criação das Enfermeiras Paraquedistas, devida ao General Kaúlza de Arriaga, ainda teve que vencer a resistência cultural que se traduzia em que nem Jefferson, na Declaração de Filadelfia, conseguiu eliminar, que era a condição separada, jurídica e socialmente inferior, das mulheres. A sua persistência conseguiu vencer, e certamente foi uma iluminação coletiva, da Nação em armas, verificar a resposta decidida, corajosa, exemplar, das voluntárias que entraram na história por direito, não apenas pelo contingente, mas individualizadas, orientadas pelo saber de que cada ser socorrido, em condições inesperadas de risco e também de escassos recursos, é um fenómeno que não se repete na história da humanidade. Para esta última exigência do credo dos valores, recordarei apenas o relato referente a “o inimigo que visitava a enfermeira do setor B”, escrito por Rosa Serra, e que se refere a Mueda. “De vez em quando, infiltravam-se um ou outro guerrilheiro doentes ou com qualquer mazela, tendo em vista os seus males” ... “diziam os nossos médicos que se apercebiam destas situações... mas sempre fingiam não notar a fraude”. Deve hoje sentir-se feliz Isabel Ribas, cujo exemplo foi um passo firme no árduo caminho da igualdade das mulheres; tem de recordar-se a visão e persistência de Kaúlza de Arriaga; é dever cívico reconhecer que não se tratou apenas, como modestamente concluem, de “gente que tratou gente”, mas de exemplo que fica inscrito no património imaterial português. Hoje temos já muitas mulheres com cargos de chefia nas Forças Armadas, mas não é seguro que tenha sido a melhor das soluções extinguir o corpo das Enfermeiras Paraquedistas. Sendo todas por uma, e uma por todas, não estranharão que recorde a Capitão Ivone Reis, que foi meu oficial às ordens quando tive responsabilidades no então ultramar. Tal como não esqueço todas as que mandei condecorar pelos valiosos serviços prestados à “gente igual a nós”, mas mais sacrificadas.
Pelo Professor Adriano Moreira
ISBN: 978-989-8647-35-1 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 439pp
P.V.P.: 19.00 euros
EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO SOCIAL – ACTAS
SÍLVIA AZEVEDO E FÁTIMA CORREIA (COORD.) V.A (Agosto de 2014)
EXCERTO DO LIVRO:
Como sabem a Educação Social é uma profissão relativamente recente em Portugal, ainda em processo de profissionalização e afirmação da sua identidade. A complexidade, o rigor e a responsabilidade da intervenção desenvolvida pelo Educador Social, exigem, ainda, a incorporação de novos saberes e posturas de forma a adaptarem-se ao novo contexto/tecido social. O reconhecimento profissional do Técnico Superior de Educação Social faz-se, deste modo, pelas práticas dos próprios profissionais, que nos seus contextos de intervenção vão demonstrando a pertinência da profissão, recorrendo, evidentemente, também ao conhecimento académico, à investigação, à pedagogia social e aos princípios éticos e deontológicos.
ISBN: 978-989-8647-30-6 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm Pag: 110pp
P.V.P.: 12.90 euros
PEDRAS SOLTAS
JOÃO PEDRO MARTINS (Julho de 2014)
EXCERTO DO LIVRO:
Para que os entendidos e bem talhados para este género de escrita não sintam estas “Pedras Soltas” como verdadeiras e cruéis pedradas na arte de poetisar, ouso e acho por bem avisar que o que por aqui se pode ler não é mais do que uma forma de me expressar, pura e simples, sem arranjos nem claves de sol, apenas porque me apeteceu e assim foram saindo para o papel tais emoções e sentimentos, sem me preocupar minimamente com a métrica poética e as rimas correctas, pois não sendo este o meu campo não seria possível fazê-lo adequadamente. Contudo, fi-lo com esforço, e comungando com Aldous Huxley – “dá tanto trabalho escrever um livro mau como um bom; ele brota com igual sinceridade da alma do autor”, – aqui partilho algumas páginas da minha alma e do meu espírito inspiradas no que já vivi, no que sonhei, na música que já escutei, nos livros que li e nos filmes que vi. Apenas isso, na forma de poemas escritos ao longo dos anos e que nesta data reuni por vontade própria. E se algum dia alguém reescrever ou reproduzir uma só frase do que aqui se publica sorrirei de satisfação e felicidade.
ISBN: 978-989-8647-25-2 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm Pag: 110pp
P.V.P.: 9.90 euros
ESTÓRIAS VIVIDAS; RELATOS DE GUERRA DE UM PILOTO DE HELICÓPTEROS EM ÁFRICA
JOSÉ QUEIROGA (Fevereiro de 2014)
EXCERTO DO LIVRO:
Tenho lido, ao longo de anos, narrativas diversas de episódios relativos ao conflito que Portugal travou em África; Como ex-combatente, também eu vivi alguns, mas não tinha tido, até então apetência para os passar a escrito; Achava eu, que não tinham relevância e que ninguém estaria interessado. Há alguns anos atrás, manhã bem cedo, recebi um telefonema de um amigo que não via desde o tempo em que servimos juntos em Angola; o Quintino. Era o dia 1 de Julho, dia comemorativo da nossa Força Aérea. O meu amigo Quintino, então 1º Cabo Mecânico de Material Aéreo em Angola, contactou-me, para me lembrar um episódio de guerra que ambos tínhamos vivido nesse dia, durante uma evacuação de feridos em combate, no enclave de Cabinda. Falámos durante muitos minutos e senti uma imensa alegria ao relembrar essa e outras situações vividas. Admiti, então, que outros, que em África combateram, poderiam gostar de recordar comigo esses tempos. Desde aí tomei a decisão de escrever, melhor direi, de fazer uma espécie de “relatório de missão”, de alguns dos episódios que mais me marcaram. E assim nasceu esta publicação!
ISBN: 978-989-8647-29-0 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm Pag: 180pp
P.V.P.: 16.50 euros
DA GUINÉ PORTUGUESA À GUINÉ BISSAU: UM ROTEIRO
FRANCISCO HENRIQUES DA SILVA E MÁRIO BEJA SANTOS (Fevereiro de 2014)
EXCERTO DO LIVRO:
Tornou-se intolerável, culturalmente falando, a lacuna, de há muito sentida, de um documento aberto a um público interessado, mas também a investigadores, que apresentasse, de forma resumida, a presença dos portugueses na Guiné em concomitância com os eventos da guerra de libertação (período que culminará com a independência de facto, em 1974) e, em estreita complementaridade, uma resenha de toda essa luta armada, do princípio ao fim; como desiderato dessa luta nasceu uma República que tem conhecido ilusões, intentonas, golpes de Estado, cisões, uma guerra civil, crises endémicas intermináveis, trata-se de outro período histórico que, estamos em crer, ainda não mereceu uma ampla resenha, uma visão panorâmica do que se passa na nova República até à atualidade, neste caso até ao golpe de Estado de 2012. Pensam os autores que a Guiné-Bissau é aquele flagrante caso de estudo em que não se pode minimamente descurar os eventos do passado colonial, as razões elementares da luta armada para tentar decifrar o turbilhão de acontecimentos que se têm sucedido da independência ao golpe de Estado de 12 de abril de 2012.
ISBN: 978-989-8647-18-4 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 530pp
P.V.P.: 23.00 euros
O VOO DO FALCÃO
ALFREDO CRUZ (Fevereiro de 2014)
EXCERTO DO LIVRO:
Este livro não é só um conjunto de estórias, alinhadas em capítulos, escrita por alguém, ainda muito jovem, que participou ativamente e viveu “com alma” a guerra no Norte de Moçambique, como piloto de Alouette III.
É, acima de tudo, um registo valioso da intensidade emocional que envolvia todos aqueles que voando o ALIII, serviam o melhor que podiam e sabiam, mas sempre no limite das suas capacidades f&iacite;sicas e anímicas, os seus Camaradas de Armas, fossem eles da Armada, do Exército ou da Força Aérea.
É, ainda um testemunho e uma homenagem a todos os que mantinham e operavam os ALIII pelo seu exemplar senti do de missão, solidariedade, coesão, sacrifício, alguns da própria vida, sempre com uma honra e uma dignidade de que só os “Grandes Homens” são possuidores.
Como refere o autor: “O helicóptero era o cordão umbilical que os prendia à vida, era a certeza do correio, muitas vezes mais importante do que os mantimentos…”
Este é um livro de emoções e de afetos... de quem os viveu intensamente.
ISBN: 978-989-8647-17-7 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 376pp
P.V.P.: 18.00 euros
MORTE OU GLÓRIA HISTÓRIA DO REGIMENTO DE LANCEIROS Nº2
ANTÓNIO MARCOS ANDRADE (Dezembro de 2013)
EXCERTO Do LIVRO:
Contar a história do Regimento de Lanceiros Nº2, não foi uma ideia que me veio à cabeça, ontem. Não! Posso dizer que começou aquando da minha passagem, como oficial, por este nosso Regimento, já lá vão 15 anos. O peso destas paredes, destes longos corredores, a dignidade da Sala de Comandantes, da Biblioteca, dos refeitórios de Oficiais e de Sargentos, das antigas arrecadações que agora alojam o núcleo museológico do Regimento. Para mim, cada canto deste quartel, escondia uma história. Na verdade, uma instalação militar que foi sempre quartel desde a sua construção em 1790 e que viu passar pela sua parada milhares de militares que com honra, dignidade e glória serviram a sua Pátria. Foi pois, com o objectivo de preservar a história e a memória que as paredes deste quartel confinam, que me levou a escrever sobre os primeiros 140 anos de existência do Regimento de Lanceiros Nº2. Preservar para o futuro um vasto espólio e a memória histórica dos Lanceiros no Exército Português.
ISBN: 978-989-8647-15-3 Dim: 21,00 cm x 29,70 cm Pag: 244pp
P.V.P.: 40.00 euros
NA SOMBRA DO EXPEDICIONÁRIO, A VIDA EM COMBATE DE SOLDADOS PORTUGUESES NA 1 GUERRA MUNDIAL
FERNANDO RITA (Novembro de 2013)
EXCERTO DO PREFÁCIO:
Havia pouco tempo o soldado deixara de morrer pelo rei.
Agora a República ensinava-o a morrer pela Pátria.
Nesta Grande Guerra, porém, ele aprendeu que essa Pátria se defendia também longe do berço natalício, havendo que fazê-lo no coração da Europa e na África profunda.
Os relatos e vivências seleccionados e descritos pelo Major Rita, conduzidos pelas Forças Armadas Portuguesas, em três frentes, mostram de uma forma realista, envolvente e emotiva, as várias situações vividas pelos militares portugueses na frente do campo de batalha, no início do século XX.
Trata-se de um livro sobre o Homem, o ambiente político, estratégico e táctico e as circunstâncias da guerra, mais propriamente sobre as consequências directas dessas circunstâncias, sobre o próprio homem que tem que a fazer e sofrer. O Homem enquanto Combatente. Neste caso, Combatente pela Liberdade.
A obra deixa claramente evidenciar o desumano e o absurdo da guerra, independentemente do onde, como, com que meios e a razão que a desencadeia.
É mais uma obra que apresentando factos, evidenciando o valor e a coragem dos protagonistas, nos conduz à evidência de que só a Paz vale a pena.
ISBN: 978-989-8647-10-8 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 232pp
P.V.P.: 14.75 euros
A MORTE QUE VINHA DO MAR
AMÂNDIO BARROS (Outubro de 2013)
EXCERTO DO PREFÁCIO:
O novo livro de Amândio Barros, "A Morte que Vinha do Mar", conduz-nos numa viagem apaixonante pelo Porto dos séculos XV a XVII, desocultando documentação de enorme importância histórica sobre as questões da saúde e, em especial, sobre o tema da sanidade marítima.
É um livro erudito, que revela o enorme esforço do autor no estudo e análise dos fenómenos da saúde e da doença na Europa pós medieval, e que sustenta as suas afirmações numa vasta e diversificada bibliografia. É um livro inovador, que traz até nós documentação até agora desconhecida e uma abordagem profunda sobre a realidade portuária e a sua relação com as questões sanitárias.
ISBN: 978-989-8647-09-2 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 153pp
P.V.P.: 14.75 euros
AS CONFERÊNCIAS FEP-U.PORTO COM OS MINISTROS DAS FINANÇAS DESDE O 25 DE ABRIL DE 1974. ASSUMIR A RESPONSABILIDADE PELO PASSADO – PROJECTAR O FUTURO.
ANTÓNIO JOSÉ DE CASTRO BAGÃO FÉLIX, JOAQUIM PINA MOURA, EDUARDO CATROGA, FERNANDO TEIXEIRA DOS SANTOS, JORGE BRAGA DE MACEDO, JOSÉ SILVA LOPES, LUÍS CAMPOS E CUNHA, MANUELA FERREIRA LEITE, MIGUEL BELEZA, MIGUEL CADILHE E VÍTOR GASPAR (Agosto de 2013)
EXCERTO DO PREFÁCIO:
Com esta obra pretende-se agregar numa só edição a perspetiva dos antigos ministros das finanças sobre o modelo de desenvolvimento que preconizaram para Portugal apõs a revolução de abril, bem como as dificuldades e obstãculos com que se depararam durante o seu consulado. Trata-se de um conjunto de intervenções efetuadas no âmbito de um ciclo de conferências organizado pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, sob a orientação do Professor João Proença, e que conseguiu mobilizar a comunidade académica e a população da Cidade do Porto para estas temáticas e, desta forma, contribuir para uma cidadania mais responsável.
(Do Prefácio por Rui Rio)
ISBN: 978-989-8647-06-1 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 153pp
P.V.P.: 11.90 euros
GUINÉ MAL AMADA, O INFERNO DA GUERRA
ANTÓNIO RAMALHO DE ALMEIDA (Fevereiro de 2013)
EXCERTO DA CAPA:
Promissor estudante de medicina, António Ramalho de Almeida vê-se subitamente mobilizado para o serviço militar obrigatório na sequência da contestação estudantil ao regime ocorrida no Dia do Estudante no ano de 1963, em Lisboa. Após a recruta em Mafra foi colocado na Escola Prática de Cavalaria em Santarém, onde tirou a especialidade na Arma de Cavalaria. É mobilizado para a Guiné, como oficial miliciano, e recebe como missão dar instrução aos locais, entretanto organizados em companhias de milícias. Mas a sua presença na Guiné não se esgota na instrução das milícias. Em Guiné Mal Amada, o inferno da guerra o autor descreve-nos o território, as populações, a presença portuguesa, e a guerra. A guerra na Guiné em toda a sua complexidade: as patrulhas, as colunas logísticas, as emboscadas, o perigo das minas, a contra-informação, os boatos, as traições. Tudo isto e muito mais, escrito por quem esteve presente, e viveu os acontecimentos na primeira pessoa. São estes os ingredientes que fazem deste livro um testemunho original, apaixonante, e intenso.
ISBN: 978-989-8647-04-7 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 230pp
P.V.P.: 14.75 euros
PARCEIROS EM REDE
JOÃO ALVES (Outubro de 2012)
EXCERTO DA CAPA:
Este livro apresenta-nos o produto de uma investigação séria, minuciosa e rigorosa sobre o modo como o Programa Rede Social contribui para a criação de empregos com a dupla qualidade de oferecerem oportunidades aos mais desfavorecidos e contribuírem para a competitividade da economia e a qualidade da sociedade.
Entre outros objectivos, o autor procura mostrar como o emprego e as redes sociais não se decidem apenas nos circuitos mais poderosos da política e da economia, mas também se podem tratar, de forma articulada, no quadro do compromisso da ciência para com uma sociedade mais justa, equitativa e de melhor qualidade.
Trata-se de um trabalho rico em informações relevantes sobre matérias de grande actualidade e pertinência, que nos revela uma “outra face”, menos ortodoxa e mais solid´ria, de problemáticas com grande alcance social e económico.
Aponta ainda algumas soluções que o leitor é convidado a conhecer.
ISBN: 978-989-8070-97-5 Dim: 15,50 cm x 23,50 cm Pag: 250pp
P.V.P.: 15.90 euros
HISTÓRIA DE AMOR ENTRE UM ADVOGADO E UMA JUÍZA
MODESTO MENDES (Agosto de 2012)
EXCERTO DA CAPA:
Esta é a história do amor entre um homem e uma mulher, que viveram plenamente um longo romance, de 15 anos. Uma história real com um final inesperado e que chocou o país.
ISBN: 978-989-8070-93-7 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm Pag: 132pp
P.V.P.: 11.90 euros
IDENTIDADE NACIONAL, ENTRE O DISCURSO E A PRÁTICA
ADRIANO MOREIRA, DAVID JUSTINO, GUILHERME DE OLIVEIRA MARTINS, JOSÉ ADELINO MALTEZ COM COORDENAÇÃO DE FÁTIMA AMANTE (Outubro de 2011)
EXCERTO DA OBRA:
Nas últimas décadas do século XX, a temática das identidades nacionais parece mais actual do que nunca. Tornou-se um tema privilegiado junto dos críticos, jornalistas, políticos e, sobretudo, junto dos académicos que voltam a sua atenção para a nação e para os sentimentos de pertença, para as lealdades partilhadas e para as distintas formas de reprodução das mesmas. O contexto social e político internacional das últimas décadas do século XX foi fundamental para o desenvolvimento dos estudos em torno da identidade nacional. É, a este título, indiscutível o impacto das transformações políticas ocorridas no centro e leste europeu, os constantes desafios da globalização e o aumento e a diversificação das migrações internacionais.
ISBN: 978-989-8070-82-1 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm Pag: 168pp
P.V.P.: 17.00 euros
ORGANIZAÇÃO, DESCRIÇÃO E DISPONIBILIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO DAS FORÇAS MILITARES EM MACAU 1874-1978 (Comando Territorial Independente de Macau)
CUNHA ROBERTO (Outubro de 2011)
O presente livro resulta de um projecto de mestrado em Ciências da Documentação e da Informação apresentado na Faculdade de Letras de Lisboa e trata de duas componentes essenciais. Em primeiro lugar a vertente histórica, importante para o conhecimento da Instituição Militar e da Região Administrativa Especial de Macau. Em segundo lugar uma vertente Arquivistica com propostas que visam a organização, digitalização, preservação e disponibilização da Informação dos fundos arquivisticos.
ISBN: 978-989-8070-71-5 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 142pp
P.V.P.: 14.75 euros
ECONOMIA DA CORRUPÇÃO NAS SOCIEDADES DESENVOLVIDAS CONTEMPORÂNEAS
(COORD) CRISTINA DE ABREU (Julho de 2011)
EXCERTO DA CAPA:
A corrupção e o terrorismo constituem porventura os dois maiores desafios da sociedade internacional do século XXI, as duas maiores ameaças à sociedade democrática.
Tais fenómenos parecem distintos, mas, na verdade, constituem duas facetas de uma mesma realidade.
Ambos são actos que põem em causa os princípios universais de gente civilizada. Ambos são actos que atentam contra a democracia, o Estado de direito, as instituições e os cidadãos em geral. Ambos visam submeter ou modificar as estruturas políticas, sociais, económicas e ambientais dos Estados. Ambos são preparados ou praticados por indivíduos isolados, assumindo, porém, maior gravidade quando levados a cabo por grupos organizados. Ambos constituem ameaças à escala planetária, diversificando-se contudo, quanto à origem, modos de expressão e consequências.
Tais fenómenos não são novos, mesmo tendo em atenção a sua dimensão internacional. O que é novo &ecute; a sua magnitude, são os meios utilizados, a constituição de redes inseridas na sociedade, a utilização de meios altamente sofisticados e a dificuldade da sua detecção e erradicação.
ISBN: 978-989-8070-61-6 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 276pp
P.V.P.: 19.00 euros
JORNALISTAS, PAIS E FILHOS
ARTUR PORTELA, BÁRBARA ALVES DA COSTA, CARLOS FLÓRIDO, ISABEL SILVA COSTA, JOÃO GOBERN E OUTROS (Junho de 2011)
EXCERTO DA CAPA:
Os jornalistas são homens e mulheres que trabalham com palavras e ideias. Nos jornais, nas rádios, nas televisões e também, mais recentemente, nos meios electrónicos, eles fazem da palavra o seu campo de batalha.
Todos conhecemos obras de jornalistas, livros técnicos, romances, temáticos, reportagens, etc... Muitos prolongam o seu trabalho, e a sua arte, para além do espaço convencional onde, diariamente, lutam com as palavras. Pretendem, em todos os casos, partilhar aquilo que a profissão e a vida lhes permitiram amealhar, a sua sabedoria.
Em alguns casos, o percurso da aprendizagem nasceu no meio dos jornais e dos livros que os seus próprios pais carregavam das redacções para casa, e de casa para as redacções. Mas dessa relação não se fala, até porque todos aprenderam, muito cedo, que o jornalista não é notícia...
ISBN: 978-989-8070-69-2 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm Pag: 114pp
P.V.P.: 11.90 euros
REGULAÇÃO LEGAL DO CONSUMO DE DROGAS: IMPACTO DA EXPERIÊNCIA PORTUGUESA DA DESCRIMINALIZAÇÃO
JORGE QUINTAS (Março de 2011)
EXCERTO DA CAPA:
O consumo de drogas foi descriminalizado em Portugal no ano 2001. De uma forma desapaixonada assiste-se neste livro à apresentação de um relevante conjunto de estudos empíricos sobre os impactos de esta alteração legislativa. De uma forma apaixonante assiste-se neste livro a uma síntese cuidada da argumentação, por vezes contraditória, sobre a forma como o sistema legal pretende regular os consumos de drogas.
A lei adoptada é uma variante de natureza proibicionista que legitima a intervenção legal face aos consumos de drogas com intuitos marcadamente proteccionistas. A aplicação da lei mostra-se, essencialmente, capaz de aumentar a tutela sobre os consumidores de drogas detectados pelo acto de consumo, favorecendo o seu tratamento. Ambos os aspectos são consonantes com a preferência pública pela manutenção do interdito legal e pela utilização de mecanismos sancionatórios de natureza terapêutica aos actos de consumo. A descriminalização do consumo de drogas não interfere, porém, decisivamente nos consumos de drogas das populações nem nos problemas colocados à sociedade portuguesa pelos usos e, especialmente, pelos abusos de drogas. Este facto é, simultaneamente, um dos seus principais méritos e uma das suas maiores limitações.
ISBN: 978-989-8070-67-8 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 340pp
P.V.P.: 22.00 euros
TÉCNICOS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO SOCIAL, NECESSIDADE E PERTINÊNCIA DE UM ESTATUTO PROFISSIONAL
SÍLVIA AZEVEDO (Fevereiro de 2011)
EXCERTO DA CAPA:
Assumindo-se que a Educação Social se apresenta como uma construção de saberes, de competências e de práticas, de modo a que haja proposta de rotura com a situação do quotidiano para que possa vislumbrar-se a mudança, há que dar espaço à metodologia de investigação-acção para reflectir o trabalho e as intenções do grupo de pesquisa, bem como valorizar a percepção das instituições e dos actores, tendo em conta a especificidade do contexto português. Ter-se-á de enfatizar a pesquisa bibliográfica, dentro e fora do espaço geográfico nacional, dado que os relatos e as teorias objectos de publicação, a este respeito, permitem uma visão de experiências realizadas em Instituições que avançam com actividades s&oaute;cio-culturais e educativas.
Esta obra insere-se num quadro e âmbito reais, bem actual, onde se torna fundamental conjugar o verbo intervir, sem desistir, no plano das mentalidades, de modo a desencadear mudanças qualitativas conducentes a uma sólida abertura, no terreno da tolerância, da responsabilidade e da solidariedade da pessoa humana.
ISBN: 978-989-8070-63-0 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 145pp
P.V.P.: 12.00 euros
POEMAS, POENTES, MAR, SAUDADE
FERNANDO CORREIA DE CAMPOS (Janeiro de 2011)
EXCERT DA CAPA:
Então, cristalizaste-os em versos e, depois de os ordenares para fazerem livro, concedeste-me o privilégio e o prazer da sua leitura acrescidos da responsabilidade e honra de os apresentar e ficar ligado a eles para que a nossa amizade ficasse selada e tornada pública.
Posso dizer-te, condensando o meu pensamento, que, tal como o mar que te entra em casa pela janela e citas recorrentemente, os teus poemas, ora se encrespam em ondas alterosas que se fazem choro na penedia, ora rejeitam nas horas de enchente cadáveres de sargaços ainda húmidos que espalham à toa, ora se estendem pacíficos sobre a praia tentando apagar todas as pegadas e todas as marcas retidas pela areia, ora nos oferecem conchas que trazem dentro, aprisionado, o bramido de todos os oceanos da terra.
(Do prefácio)
ISBN: 978-989-8070-60-9 Dim: 15,00 cm x 22,50 cm Pag: 88pp
P.V.P.: 9.90 euros
ARMAMENTO LIGEIRO DA GUERRA PENINSULAR 1808-1814
FARIA E SILVA E JAIME REGALADO (Agosto de 2010)
O presente livro preenche-se finalmente a lacuna já secular, relativa ao estudo crítico do armamento ligeiro empregue pelas tropas portuguesas nas acções de combate e batalhas da Guerra Peninsular. Apesar de surgir no contexto das comemorações do Bicentenário das Campanhas da Península, não é uma obra de oportunidade. Resulta de duas décadas de estudo, análise, comparação e cruzamento de informações, documentais e iconográficas, com acervos de colecções privadas e de diversos espaços museológicos, nacionais e internacionais.
Escrito por dois dos mais proeminentes especialistas em armamento, contém imagens de alta qualidade dos sistemas de armas, de pinturas, gravuras, óleos sobre tela e outras, que darão ao leitor uma imagem muito completa do armamento ligeiro português, assim como dos demais actores do conflito: A França e a Inglaterra.
Indispensável ao especialista, a todos quantos gostam de história, e ao leitor em geral que aprecia um bom livro, cuidado e repleto de belas imagens, muitas delas inéditas.
ISBN: 978-989-8070-52-4 Dim: 21,00 cm x 29,70 cm Pag: 244pp
P.V.P.: 45.00 euros
JORNAL DO CONSERVATÓRIO: COMÉDIA E DRAMA DE ALMEIDA GARRETT
MARIA GABRIELA RODRIGUES FERREIRA (Julho de 2010)
EXCERTO DA OBRA:
Tendo por base o Jornal do Conservatório redigido por Almeida Garrett e que aqui se apresenta na íntegra, 170 anos após a sua primeira publicação, o presente estudo pretende chamar a atenção para um momento de viragem crucial na criação de repertório dramático português. Num primeiro momento, alude-se à figura multifacetada do dramaturgo reformador, para versar, num segundo momento, os aspectos principais da reforma garreteana do teatro português – desde a formação de actores à programação e crítica de espectáculos –, entre outros aspectos, e que conduziram à edificação do Teatro Nacional D. Maria II, onde seria representado o novo repertório dramãtico português.
ISBN: 978-989-8070-53-1 Dim: 17,00 cm x 24,00 cm Pag: 460pp
P.V.P.: 24.00 euros
O CAMINHO DA ÍNDIA
PETER WIBAUX (Fevereiro de 2010)
EXCERTO DA OBRA:
Esta é a história de uma viagem tornada possível por homens que liam as estrelas, jogavam os jogos da política e da guerra melhor do que nos tempos de hoje, e que ousaram arriscar o futuro de toda uma nação pelo pote de ouro de Marco Pólo. É a história da subida à ribalta de um pequeno país com pouco mais de um milhão de almas, que passou a figurar entre as principais potências europeias e foi pioneiro da globalização. É a razão pela qual se bebe «chá» em chinês e português, e a palavra «chave» tem o mesmo significado em português e em kikuyu, uma das principais línguas tribais do Quénia...
Baseado em anos de investigação, este livro conta-nos os feitos daqueles homens que arriscaram a vida em viagens tão ousadas quanto perigosas - e do rei cuja coragem, inteligência e visão abriu Portugal ao mundo.
ISBN: 978-989-8070-46-3 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm Pag: 278pp
P.V.P.: 24.00 euros
O SPORTING EM POESIA - PRODUTO OFICIAL LICENCIADO ©
CIDÁLIA LARANJO (Janeiro de 2010)
EXCERTO DA OBRA:
Se toda a poesia é por essência mensagem, aquela que aqui tenho a alegria de apresentar, sendo poesia de amor e de paixão, é sobretudo e por isso mesmo mensagem de valores e semente de cultura...
Porque é este, seguramente, o sentimento primeiro da autora deste “tão pouco, tão muito” que “ao redor de uma bola faz... a união de um Povo”, é que felicitando o seu indisfarçável sportinguismo lhe deixo um muito leonino Bem Haja, com votos de que os leitores de qualquer cor clubística, ao lerem estes gritos de alma cantados em verso, possam entender e difundir a mensagem de humanismo universalista que deles ecoam. Bem Haja. Viva o Sporting.
P. Vítor Melícias
(Franciscano e Sportinguista)
ISBN: 978-989-8070-45-6 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm Pag: 132pp
P.V.P.: 12.90 euros
CLUBE DE LEÇA, 125 ANOS
ANTÓNIO RAMALHO DE ALMEIDA (Novembro de 2009)
EXCERTO DA OBRA:
Edição comemorativa dos 125 anos do Clube de Leça.
O livro que agora se publica constitui um precioso registo da memória de 125 anos de história de uma instituição social e cultural de referência no país. Constitui igualmente uma sentida homenagem aos associados que mais se distinguiram durante a sua longa e distinta vida.
O Clube de Leça foi um ponto de encontro de algumas figuras cimeiras da nossa cultura e passou ao longo destes 125 anos, por inúmeras transformações. Este livro convida-nos, pois, a olhar para o passado, com um piscar de olhos ao futuro.
Profusamente ilustrado, o livro que agora damos à estampa contém um conjunto valioso de documentos cujo interesse ultrapassa, em muito, a mera curiosidade sobre a história do Clube de Leça, ou sobre alguns aspectos mais pitorescos da vida cultural e social de uma determinada época.
ISBN: 978-989-8070-44-9 Dim: 21,00 cm x 30,00 cm Pag: 231pp
P.V.P.: 35.00 euros
NA SENDA DA DIVINDADE
FRANCISCO DE ALMEIDA GARRETT (Junho de 2009)
EXCERTO DA OBRA:
“O presente documento versa sobre um tema universal, a divindade, e procura fornecer ao leitor uma chave que lhe permita pôr em ordem os seus pensamentos quando busca respostas para as questões que necessariamente coloca a si próprio: Quem sou eu?, De onde venho?, Para onde vou?
Trata-se de uma composição literária em forma dialogada, concebida com a intenção de ser acessível ao homem mediano e de o fazer participar, com limitações embora, no debate filosófico acerca das chamadas provas da existência ou inexistência de Deus que foram alvo de discussão ao longo da história da filosofia.
Prossegue ainda hoje, no mundo moderno, o debate sério e rigoroso do ponto de vista intelectual acerca dessas provas, ao contrário do que possam supor as massas, os simples e até as classes elevadas.
O Deus sobre que versa a discussão é o Deus da filosofia, o Absoluto, e não necessariamente o Deus de qualquer específica religião, donde se segue que o texto desperta igual interesse em leitores ateístas, agnósticos e teístas de qualquer religião. Do Ocidente ao Oriente.”
ISBN: 978-989-8070-38-8 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm Pag: 145pp
P.V.P.: 16.00 euros
ARTE DE FURTAR, DEVOLUÇÃO DA AUTORIA
SEVERINO PEREIRA (Outubro de 2008)
Vigora como opinião oficial no meio académico e literário, a concepção que rejeita a autoria de Arte de Furtar, ao génio do padre António Vieira. Tendo-se erradicado este título da lista de obras deste autor. Sem grande ponderação e com demasiada leviandade se tomou a decisão…

Se com tamanha facilidade e despudor, se faz isto em obra de tanta coerência estilística e ideológica, imagine-se os estragos que tal atitude poderia fazer, se algum interesse o ditasse, em obras como por exemplo a de Fernando Pessoa, tão rica de contraste e diversidade.

ISBN: 978-989-8070-26-5 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm Pag: 95pp
P.V.P.: 12.90 euros
HOSPITAIS DE GAIA, UM SÉCULO DE HISTÓRIA
VÁRIOS (Setembro de 2008)
O livro que agora damos à estampa, constitui uma preciosa mais valia para todos aqueles, que desejam tomar conhecimento com uma época impar da história da medicina e do sistema de saúde nacional.

Recordar é mentir com sentimento – diz Agustina Bessa-Luís. Não o quisemos fazer assim… Por isso, se este livro recorda o que foi o excelente nível médico e cirúrgico que atingiram, ele não esquecerá que grande parte da vida destas instituições decorreu durante um longo período de obscurantismo e de repressão da vida e da sociedade portuguesa, que aqui se reflectiram necessariamente no seu quotidiano e nas relações humanas e laborais, tantas vezes inquinadas pelo autoritarismo, pelo fanatismo e pela repressão arbitrária….
O Sanatório era um lugar exemplar. Os seus pavilhões inseriam-se numa área de mais de 20 hectares, entre cuidados jardins, pomares e uma antiga mata. As cores, os aromas, eram indescritíveis. Aqui se podia estar envolto em harmonia e em silêncio. Árvores, silêncio e pássaros sempre se deram bem. Os pardais e as rolas estavam por todo o lado. E ouviam-se os gaios, os melros, o cuco. Na mata apareciam perdizes… Pinheiros, eucaliptos, carvalhos, castanheiros, sobreiros, tílias, plátanos, cedros, estendiam-se a perder de vista, envolvendo edifícios e pessoas.

Um valioso documento histórico, profusamente ilustrado com fotografias.

ISBN: 978-989-8070-25-8 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm Pag: 114pp
P.V.P.: 14.75 euros
O ÚLTIMO DUELO, CRIME, ESCÂNDALO E JUSTIÇA NA IDADE MÉDIA
ERIC JAGER (Abril de 2008)
Uma história verídica e apaixonante de sexo, escândalo e vingança na Idade Média.
Quando a honra se lavava com sangue, o destino de dois homens e uma mulher jogou-se no... Último Duelo.
Um Thriller verdadeiramente fascinante.
Tão fascinante e intenso como os escândalos das celebridades de hoje. (Booklist)
Combina brilhantemente um texto cativante com uma janela aberta para o mundo bizarro do combate judicial. (Sunday Times)
Um relato rigorosamente documentado de um caso de amor, orgulho, desonra e tribunais na França do século XIV. (Library Journal)

ISBN: 978-989-8070-21-0 Dim: 15,00 cm x 22,50 cm P.V.P.: 22.00 euros
O REGICÍDIO, UM CRIME MAIS QUE PERFEITO
ANTÓNIO RAMALHO DE ALMEIDA (Janeiro de 2008)
"Revendo agora, cem anos passados, este episódio que ensombra a fase final da nossa monarquia, ficamos seguros que apesar de tudo por um planeamento perfeito, ou por alguns acasos que entretanto aconteceram confluindo no cenário do Regicídio, podemos dizer que se tratou de um crime perfeito. De um ajuste de contas? Não!
Tratou-se de UM CRIME MAIS QUE PERFEITO."

ISBN: 978-989-8070-18-0 Dim: 15,00 cm x 22,00 cm P.V.P.: 14.75 euros
O PORTO E A TUBERCULOSE - HISTÓRIA DE 100 ANOS DE LUTA
ANTÓNIO RAMALHO DE ALMEIDA (Janeiro de 2007)
Enquanto durar este tipo de mentalidade, enquanto as pessoas não forem informadas com verdade do poder da tuberculose, enquanto nas Universidades não se ensinar devidamente a realidade da tuberculose nas suas múltiplas facetas clínicas, enquanto a comunicação social não fizer uma campanha exigente, consertada e continuada no tempo, e enquanto a tuberculose não der votos, ou por outra, não sensibilizar os políticos, o Porto será a cidade portuguesa com maior número de casos de Tuberculose, apesar de tudo o que atrás foi dito com verdade, com história e com alguma glória.
ISBN: 978-989-8070-03-6 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm P.V.P.: 15.90 euros
ARTE DE VENCER
CLÁSSICOS CHINESES DA ESTRATÉGIA (Novembro de 2005)
O caminho para o sucesso está aqui traçado com uma nitidez que é simultaneamente fruto do pensamento e da experiência.
O quadro de referência é o confronto militar, mas as áreas às quais esse caminho pode aplicar-se é o mundo da vida na sua totalidade. Em particular, o mundo da conflitualidade social, da rivalidade empresarial e da nossa vida profissional.
Numa altura em que no Ocidente não se tinha ainda sequer inventado uma palavra para aquilo a que entretanto se deu o nome de "saber estratégico", os chineses faziam estratégia de um modo operacionalmente consistente e reflectiam sobre ela de um modo conceptualmente sofisticado.

ISBN: 978-989-8070005 Dim: 14,00 cm x 21,00 cm P.V.P.: 15.90 euros
AUTARQUIAS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
AGENDA 21 LOCAL E NOVAS ESTRATÉGIAS AMBIENTAIS (Setembro de 2005)
Encontramos neste livro uma crítica fundamentada, e ao mesmo tempo muito incisiva, do pouco que em Portugal se tem feito pelo ambiente e pela sustentabilidade ao nível do poder local. Mas encontramos também alguns sinais encorajadores e, acima de tudo, um conjunto amplo de orientações estratégicas e medidas de política que os autores sugerem como quem lança um repto. Para os que pretendem ficar a saber como passar à prática, com sucesso, uma Agenda 21 Local, o Roteiro que com esta obra se disponibiliza constitui uma ferramenta inovadora, em termos informativos, e imprescindível, no plano operacional.
ISBN: 972-99757-5-2 Dim: 16,00 cm x 23,50 cm P.V.P.: 14.75 euros
  Soldados do Império
  Dialéctica Belli
  Pensar Portugal
  Letras com História
  Leituras de outros Tempos
  Grandes Vultos da Hist de Port
  Pensar a Estratégia
  Guerra e Civilização
  Construtores da História
  Tesouros Perdidos da Lit Port
  Passado Presente
  Causam Dicere
  Gestão e Auto-Ajuda
  Infantil
  Ficção Contemporânea
  Critica ao Port Contemp
  Portugueses no Mundo
  Rumos do Pensamento
  Cad Arm Regulam Port
  Cad Militaria Portuguesa
  Outras Publicações